top of page

A música produzida por elas — Especial Dia da Mulher

Seja com um Violão, Cajon, Guitarra, Tajon ou cantando, temos mulheres transformando e revolucionando nossa percepção musical a todo o instante. Neste mês de março, a FSA traz alguns nomes que fizeram história como compositoras, intérpretes, musicistas e produtoras. Já que, desde o início da música, temos mulheres como protagonistas, musas e vozes que movem o mundo.

Fizemos uma seleção de mulheres notórias para você relembrar e trouxemos duas profissionais que são endorses da FSA Cajon para você conhecer e acompanhar!

Confira lista top:


Mulheres que evoluíram a música


Rita Lee

A eterna Mutante foi responsável por quebrar diversos recordes brasileiros da música. Emplacando hits em carreira solo, até hoje não há quem ouça “Ovelha Negra”, “Agora Só Falta Você”, “Reza”, “Flagra” e “Erva Venenosa” sem pensar em seu cabelo vermelho com óculos redondo.

A Rainha do Rock Brasileiro é a mulher que mais vendeu discos no Brasil, seu maior sucesso nas lojas foi o LP Rita Lee e Roberto de Carvalho, de 1982, que superou 2 milhões de cópias.

Além de ser a artista com maior número de músicas em aberturas de novelas da Globo.



Madonna

A Rainha do Pop já vendeu mais de 300 milhões de cópias no mundo todo, além de revolucionar a indústria fonográfica com seus shows, adereços e clipes.

Ela desbravou o mercado, tornando-se a artista feminina que mais faturou com sua arte.

Além de ser a artista internacional que mais vendeu no Brasil, com 3,6 milhões de discos vendidos desde o início de sua carreira.

Madonna foi a responsável por alterar a forma que mulheres eram tratadas na indústria musical, quebrando expectativas e alcançando mais e mais público.

Na última década ela seguiu fazendo barulho, e continuou com espetáculos, romances e músicas ousadas como na juventude — rompendo a barreira da idade para ser sexy.

Album Madame X (2019)


Clara Nunes

Uma das maiores interpretes brasileiras, Clara foi a primeira mulher a atingir a marca de 100 mil discos vendidos e tornando-se uma inspiração na MPB.

Com sua voz doce, seu início de carreira foi nas rádios de Minas Gerais com músicas românticas, até que encontrou no samba uma forma de brilhar. Imortal, é impossível não recordar de seu timbre ao cantar “O Mar Serenou”.

Clara foi a primeira cantora brasileira a derrubar o tabu, segundo o qual, mulheres não vendiam milhares de cópias de um único disco. Ela também foi fundamental para diminuir o preconceito com religiões de matriz africada, já que era abertamente umbandista.

Album Clara Nunes (1973)


Beyoncé

Com início de carreira no POP, ao lado do girl group Destiny’s Child, ela conquistou seu espaço na mídia cantando sobre mulheres e empoderamento. Porém, depois de uma notoriedade estabelecida, alçou voos mais altos, mudando de gênero e trazendo álbuns fonográficos completos.

Dona de hits como “Crazy In Love”, “Halo”, “Single Ladies”, “If I were a boy”, “Drunk in love”, “Pretty Hurts”, “Formation” e “Freedom”, todos os albuns lançados em sua carreira solo tiveram tópicos, temas e visuais demarcados.

Além de ser a artista mais premiada da história do Grammy, com um recorde de 32 vitórias.




Marília Mendonça

A “Rainha da Sofrência” trilhou um caminho que outras mulheres abriram no sertanejo, porém, alcançou públicos e espaços que eram destinados a homens.

Marília consolidou-se como a maior potência do Feminejo, um sertanejo com letras e intérpretes femininas e colocando a mulher como protagonista da história.

Compositora, registrou 324 músicas em seu nome, fora 391 gravações cadastradas em sua autoria e de parceiros.

Após sua morte, em 2021, tornou a primeira brasileira a ter mais de 9 bilhões de reproduções de suas músicas no serviço de streaming Spotify.



Mulheres para ficar de olho


Aqui na FSA Cajon acreditamos que a música, o sucesso e a groove, são para todas!

Finalizamos nossa seleção com duas mulheres para você ficar de olho! Além de fazerem parte do nosso timaço de endorses, são talentos que merecem destaque.

GIANA ALTHAUS

Cantora, compositora e musicista, de Ponta Grossa/PR, é uma verdadeira multi-instrumentista e influenciadora digital.

Vale conferir o som desta garota tocando Tajon:


RAYANI MARTINS Baterista, de São Bernardo do Campo/SP, começou muito cedo: aos três anos já tinha bateria como o brinquedo favorito. Professora de bateria, realiza workshops e trabalhos com artistas de expressão e atitude.

Conhecer mais do trabalho da profissional:


Temos orgulho em apoiar mulheres que, através da música, podem conquistar o mundo.

Feliz Dia Internacional da Mulher para todas que fazem parte da evolução da música.


Você conhece uma baterista que precisa de um Tajon também?



Commentaires


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
bottom of page